Portuguese PT English EN Spanish ES Italian IT

Sarcoma das Partes Moles

O que é a Sarcoma das partes moles

É um conjunto específico de tumores que acometem estruturas como vasos sangüíneos, linfáticos, músculos, tecido gorduroso, nervos, cartilagens, pele e tendões. Os sarcomas de partes moles compõem um grupo heterogêneo de tumores malignos que representam cerca de 1% dos casos de câncer em adultos. Embora apresente um pico de incidência na infância, a doença é mais comum em adultos, sobretudo com mais de 50 anos. No Brasil, estima-se que esse tipo de câncer acometa, em média, 2.8 indivíduos para cada 100 mil habitantes.

 

Causa

A causa do sarcoma de partes moles é desconhecida na maioria dos casos. Porém, alguns fatores de risco podem aumentar a probabilidade do desenvolvimento desse tipo de câncer. Trabalhos científicos mostram que alguns destes fatores podem afetar o DNA das células dos tecidos de partes moles.

 

Sinais e Sintomas

Em geral, mais da metade dos sarcomas começam no braço ou na perna. O paciente, em sua grande maioria, é acometido por um caroço, que não causa dor, mas que cresce durante semanas ou meses. Os tumores, dependendo do caso, também podem causar dor, obstrução intestinal ou sangramento digestivo. O sarcoma pode começar no abdome, pescoço, na região do tórax ou ainda no pescoço.

Os principais sintomas do sarcoma são:

  • Nódulo em desenvolvimento em qualquer lugar do corpo;
  • Sangue nas fezes ou vômitos;
  • Fezes escuras;
  • Dor abdominal que piora com o passar do tempo.

 

Tratamento

Os principais tipos de tratamento para o sarcoma de partes moles são a radioterapia, cirurgia, quimioterapia e terapia alvo. Por se tratar de uma doença rara, órfã e heterogênea, que se manifesta em mais de 50 diferentes subtipos, o tratamento é complexo. Nesse contexto, a dificuldade também ocorre no desenvolvimento e pesquisa de medicamentos que consigam atuar com eficácia nas suas diferentes formas. Por isso, há quatro décadas não surgiam medicamentos que conferissem aumento de sobrevida global quando comparados à doxorrubicina (tratamento padrão). A expectativa é de que esse tipo de câncer raro tenha agora um tratamento que possa impactar na vida do paciente. Aprovado nos Estados Unidos e na Europa, o olaratumabe, passando a ser considerada como um tratamento padrão de primeira linha, em associação com a doxorrubicina. Essa opção de tratamento que pode mudar o cenário do sarcoma de partes moles deve chegar ao mercado brasileiro em 2018.

Que especialista procurar

Oncologista e gastroenterologista.

Fonte: Sociedade Brasileira de Genética Médica

© Copyright 2018 Muitos Somos Raros